Dec 17, 2008

faz um ano

que partiste.

ainda ouço a tua voz. ainda sinto a tua presença. ainda me lembro do conforto dos teus abraços e do teu carinho. ainda me lembro de ti como se fosse ontem.

um ano. e ainda dói saber que não estarás à mesa este natal. ainda dói telefonar para casa e não poder falar contigo. ainda dói querer voltar a estar contigo e não poder. ainda dói falar de ti no tempo passado. porque não pertences ao passado. pertences ao meu presente e ao meu futuro. sempre. porque mesmo não estando presente, todos os dias estás ao meu lado.

sinto saudades tuas.

Dec 16, 2008

happy b-day



...to me!

recebi a minha primeira prenda esta manhã, após ter ido ao posto da polícia para inscrever-me nos serviços de estrangeiros e fronteiras (estou "ilegalmente" na suíça há dois meses, pois a minha autorização de residência era provisória e com prazo de dois meses). expus o meu caso (i.e. à espera do meu diploma de mestrado para inscrever-me na universidade de basileia) e ao entrar os meus dados, a senhora apercebeu-se que hoje era o meu aniversário, e disse que enviar-me-ia o meu permis b, na condição que mal tivesse inscrita na uni. fosse entregar o comprovativo.

finalmente, vou ser "cidadã" suíça :)

Dec 12, 2008

"good woman" by cat power



bom fim-de-semana

perdi



as minhas chaves de casa! e do departamento!!
a minha vida nunca foi triste. desventuras após desventuras. às vezes gostava de levar uma vida pacata, sem sobressaltos. mas isso só acontece nos meus sonhos.

ontem, o m. convidou-nos (a s., o j., o f. e eu) a ir a barfüsserplatz para um copo de vinho quente. é tradição cá as feirinhas de natal, com tendas de produtos natalícios típicos da região em todas as praças principais da cidade.

já pronta para sair, procuro as minhas chaves para fechar a porta do laboratório. procura em vão. nada. corremos todos os laboratórios e salas onde estive durante o dia. abri frigoríficos, arcas congeladoras, centrifugadoras, incubadoras. "obriguei" a senhora das limpezas a despejar e vasculhar o lixo comigo. nada. em desespero, revejo passo a passo o meu dia. última vez que vi as minhas chaves? às 9h00, quando abri o lab. depois? nada.
sem outra solução em vista, sempre é melhor ir afogar mágoas num bom copo de vinho quente do que andar a esquentar a cabeça sobre o paradeiro das minhas chaves. telefonei à minha mãezinha a pedir-lhe para "responsar" a sto. antónio. há um ano atrás teria pedido ao meu avuelito. ele dizia-me que se algo tinha sido "perdido" sem maldade, sto antónio trá-lo-ia de volta.

fui dormir a casa de uns burgueses suíços, proprietários da casa onde a sabina mora.
pouco ou nada dormi, com o meu dia a desenrolar-se perante os meus olhos, vezes e vezes sem conta. sem memória de ter voltado a pegar nas minhas chaves.

esta manhã, fui aos locais onde tinha ido no dia anterior enquanto a s. foi perguntar à secretária do departamento. alguém tinha encontrado as minhas chaves no dia anterior e entregue-lhe.

obrigada mamã. sto antónio trouxe-me as minhas chaves de volta.

Dec 11, 2008

j.'s phd defence



ontem foi a apresentação/defesa da tese de doutoramento do j. (aluno australiano do grupo c.). é tradição cá na uni. fazer um apéro no final para festejar a passagem a "doutor". o que não é usual é ter o seu apéro à hora do almoço. porque não é usual fazer a sua defesa de manhã. mas o j. tem planeado 8 meses de férias (antes de começar um pós-doc em edinburgh) e queria terminar antes do natal. e teve de se sujeitar aos horários/compromissos dos examinadores, i.e. apresentação às 10h30. a soma de todas estas situações fez com que as pessoas começassem a beber às 12h00. mau, muito mau. eu? sim, podem ficar surpreendidos, mas não toquei numa gota de álcool (ainda tinha 8h no lab pela frente...). mas foi cómico, ver a desgraça dos outros. às 15h00, já estavam mal. às 17h00, nem comento. às 18h00, decidiram ir cambalear para o "kurds" (um pub perto da uni. e que teve honras de ser mencionado no capítulo de agradecimentos do j.).
cheguei ao kurds, já passavam das 20h00. foi desde cantar, concursos de risos histéricos, cair das cadeiras, zanga de comadres, etc. é verdade que quem está sóbrio sente-se completamente desenquadrado. neste caso? eu. por isso, fui para casa cedo (às 22h00).
hoje? os que apareceram na uni. vieram com a cara no ..
e depois recebo este email da e.:
"i actually have the worst hangover of my life ever.
i'm blaming it on m. and the spirits. spirits are evil and bad.
"

Dec 9, 2008

thelma & louise



na quinta-feira passada, a s. e eu fomos desanuviar o stress de muitos dias de trabalho em horários indecentes (entende-se cerca de 18h/dia) ao hirscheneck. acumulação de cansaço mais álcool em excesso, fez com que as duas ficássemos num estado deplorável em pouco tempo. era 1h da matina quando a s. decidiu regressar a casa. eu, decidi manter-me mais algum tempo no bar e ver se ficava ok enough para reencontrar o meu caminho para casa (e manter-me de pé tempo suficiente para conseguir caminhar). o tempo passou e por volta das 4h, lá consegui arrastar-me até o meu ninho. acordei às 9h00 com a cama a andar à roda (deve ser a única altura em que me apercebo do movimento rotativo da terra). decidi levantar-me e ir trabalhar. não que estivesse em condições de fazer o que quer que seja, mas porque precisava urgentemente de ar fresco. cheguei à uni. ainda num estado deplorável e dificilmente consegui esconder o meu estado comatoso aos meus colegas. claro que ouvi um rol de piadas do j. e do t. mas minutos depois, o j. entra no lab e diz-me que a s. tinha tido um acidente na noite anterior. fiquei lúcida em menos de 2 minutos. telefono a s. para saber se ela estava bem. a meio da tarde, fui com ela ao hospital para fazer alguns raios x.

resultado da nossa brincadeira "inocente"? três dentes partidos e a face direita completamente desfigurada.
como aconteceu? a s. quase fez um frontal com um tram e no último segundo desviou-se e foi contra um poste de iluminação.

agora s. é thelma e eu, louise. merci c. pour les petit-noms.

Dec 8, 2008

"here it goes again" by ok go

quase, quase



a minha tese de mestrado está a ser entregue nos serviços académicos neste preciso momento. o fim do calvário (por enquanto). o j. fez-me sofrer até ao último minuto - correcções entregues às 2h30 do sábado (quando lhe pedi expressamente para enviar-mas no sábado de manhã), mais correcções enviadas no domingo no final da tarde. até que lhe disse: basta! farei o resto das correcções após submeter a tese e caso o examinador externo assim o entender.

agora é aguardar pela resposta. caso não obter o grau de mestrado, regresso à estaca zero. sem mestrado, não há doutoramento...

Dec 4, 2008

epiphany




às 03h35. les moments de clairvoyance não têm horários.

Dec 3, 2008

a minha pipoca

fez dois anos no sábado dia 29. e veio festeja-los à suíça.
sem saber o que lhe oferecer, decidi ser directa e perguntar-lhe o que queria pelos anos. qual não foi o meu espanto, quando ela respondeu-me: "quero uma bolsa". descobri que a minha m. é uma menina vaidosa. gosta de vestir bem, gosta de pôr bâton, gosta de falar ao telefone, gosta de falar. uma verdadeira mulher!
adorei este fim-de-semana em que pude brincar ao "faz-de-conta", contar mil vezes a história dos três porquinhos, cantar o "doidas, doidas, andam as galinhas", ouvi-la dizer-me vezes sem conta: "o que queres? café? sim?" e contar até dez em inglês (sixi, não! eiti, não!). rir-me do sotaque do norte já bem presente. ver que já sabe o que quer. saber que ela lembra-se de mim, mesmo estando longe.
ela adorou a minha tatuagem. dizia-me: "o meu nome?" e apontava para o meu pulso. "matilde, sim?"

e foi bom. foi bom estar com as minhas manas. foi bom respirar puro amor.

à beira de um...

Nov 30, 2008

volo cancellato / flight cancelled



****** AVVISO IMPORTANTE ******
gentile cliente,
siamo spiacenti di informarla che il volo volareweb milano malpensa porto milano malpensa è stato cancellato a causa di problemi tecnico/operativi. l'importo speso per il documento di viaggio è stato riaccreditato sulla carta di credito utilizzata per l'acquisto (spese amministrative e spese invio sms escluse).
se ne avesse la necessità è comunque possibile contattare il nostro call center (07.00/22.00) tutti i giorni ai seguenti recapiti:
dall'italia 899 65 65 45
dall'estero +39 091 ...
ci scusiamo per eventuali disagi arrecati.
cordiali saluti.
ufficio vendite
volareweb

****** IMPORTANT NOTICE ******
dear customer,
we are really sorry to communicate that volareweb flight from milan malpensa to porto and from porto to milan malpensa have been cancelled due to a technical/operational problem. the ticket cost has been refunded on the credit card founded into the reservation (admin and sms fee are not refundable).
do not hesitate to contact our call center (07.00-22.00) any week day at the following phone number for any further information:
italy 899 65 65 45
abroad +39 091 ...
we are sorry for what happened.
best regards
direct sales
volareweb

boa maneira de estragar as férias de natal de uma pessoa. um mês antes do vôo, prever que vão ter problemas técnicos/operacionais. um pouco de sinceridade teria sido melhor aceite...

Nov 25, 2008

diário de um cão



o meu cão j. tem-me escrito emails. estranho? não. o meu pai encarnou a personagem do j. e diariamente j. conta-me a sua vida de cão. as suas aventuras, a sua relação com os meus pais, os seus passeios pelos pastos de vila cova, e as suas descobertas no mundo animal.

tenho-me divertido imenso a ler as suas estórias e fica desde já prometido a edição de algumas.

Nov 20, 2008

falta

um mês para partir de férias.

ansiosa, muito ansiosa.

Nov 19, 2008

o verdadeiro sentido



de amizade.

tive um breakdown. porque ando cansada. cansada de trabalhar 18 horas por dia. cansada de fazer as nove horas normais no lab e mais nove horas de trabalho sobre a minha tese de mestrado. cansada de não ter uma noite completa de sono. cansada das dores na costela e no braço direito. mas sobretudo cansada da tese.

tive um breakdown na frente dos meus colegas de trabalho.
e hoje ofereceram-me um ramo de flores e chocolates. para alegrar-me e dizer que a minha vida não pode revolver à volta do meu trabalho. e hoje vou ser arrastada para fora do lab e vou jantar com eles.

para mim não há melhor definição de amizade.

Nov 18, 2008

moi





clicar na imagem em caso de miopia grave :)

no man is an island



o homem que não é uma ilha, afinal é uma ilha.
uma ilha deserta.

5 meses: 18 junho a 18 novembro 2008

Nov 17, 2008

"founded on fear" by peter tyrrell



comprei este livro há quase um ano em dublin. alguém tinha-me mencionado as "industrial school" na irlanda e a curiosidade matou o gato.
o livro é a dura realidade vivida por uma criança irlandesa que aos 8 anos de idade foi retirada aos pais (assim como 3 outros irmãos) e entregue aos cuidados dos "catholic brothers", nos anos 30.
peter, criança, foi vítima de maus tratos (físicos e psicológicos) durante 8 longos anos.
peter, adulto, combateu (na linha da frente) na segunda guerra mundial, foi prisioneiro de guerra dos alemães e sobreviveu.
e mesmo a guerra e o captiveiro foram (agri)doces comparativamente ao que ele viveu no colégio.
peter tentou por diversas vezes abrir os olhos do governo irlandês, mas sem sucesso (cópias das cartas dirigidas aos governantes estão anexas ao livro assim como as "simpáticas" respostas).
peter escreveu as suas memórias e suicidou-se, aos 51 anos, por auto-imolação.

"the catholic religion based on fear and myth is the main cause of the high degree of mental illness. we must have a new religion based on love, friendship and understanding. ireland ought to be for the people. the priest has made life intolerable for us at home, hence the stampede to emigrate. we want home rule, not rome rule."

quando fui viver para portugal, em 1991, os meus pais colocaram-me "temporariamente" num colégio de freiras. nunca fui vítima de maus tratos no colégio mas lembro-me perfeitamente de um rapaz de 6 anos ser arrastado pelos cabelos por uma freira e de uma rapariga de 15 anos ser "chicoteada" por não ter esticado correctamente os lençóis da cama. são dois exemplos de casos que, infelizmente, não foram pontuais.
por estas e outras razões perdi toda e qualquer fé na instituição católica.

nota: uma pesquisa sobre "letterfrack" ou "connemara" resultam em páginas turísticas (ex. o monastério é agora um hotel) mas nenhuma (ou poucas) referência é feita à história macabra por detrás da industrial school. a mão poderosa da igreja?

Nov 15, 2008

do your thing

depois de ver este fulano a abanar o rabo dele melhor do que a beyoncé, fiquei cheia de inveja...

Nov 14, 2008

piada de fim-de-semana



o paraíso é aquele lugar onde o humor é britânico, os cozinheiros são franceses, os mecânicos são alemães, os amantes são portugueses e tudo é organizado pelos suíços.


o inferno é aquele lugar onde o humor é alemão, os cozinheiros são britânicos, os mecânicos são franceses, os amantes são suíços e tudo é organizado pelos portugueses.

mudanças



é sempre bom mudar de ares. se por um lado, custou-me deixar dublin, pelo outro, basel tem-me aberto muitas outras portas e experiências.
por isso, deixo aqui o meu "farewell" ao f. que decidiu regressar à terra-mãe após alguns meses, anos (?) no seio da comunidade irish na bélgica.

wish you all the best :)

Nov 13, 2008

ao telefone


conversa telefónica com a minha pipoca.
- olá (a palavra favorita dela)
- olá
- é a p.?
(o meu pai: não é a l.)
- l.? onde tás?
- na suíça
- na chuicha?
...
depois foi um rol de palavras soltas (ou sussurradas pelo meu pai): que não quer ir para os meninos (i.e. à creche), que foi hoje a barcelos e que estava a brincar com o j. (que ela pronuncia nhonhi).

é estúpido, mas são estas pequenas coisas da vida que me alegrem o resto do dia.

arrrrrrgggggggggggghhhhhhhhhhhhh



nunca pensei que uma costela partida doesse tanto.
e porquê que, nestas alturas, as pessoas só dizem asneiras que me fazem rir e sofrer ainda mais?

ao contrário




uma amiga minha lançou um livro para crianças. deixo-vos aqui a mensagem dela e a sugestão de prenda de natal para os mais pequeninos.

"olá a todos,
ao contrário de todas as expectativas descobrimos um presente de natal realmente diferente para crianças: um livro com cd.
termos sido nós a fazê-lo pode parecer suspeito. mas acreditamos mesmo que os vossos filhos, sobrinhos, primos, afilhados, amigos e vizinhos mais pequenos vão gostar. porque esta é uma maneira diferente de cantar histórias.
o princípe salva a princesa? o pirata assalta barcos com a sua espada? o elefante é sempre gordo? os doces são mesmo doces? a pulga salta?
sim?
NÃO!

dêem a volta à imaginação das crianças e descubram com elas 12 histórias cantadas onde tudo se passa ao contrário. mas é mesmo assim que está certo. "ao contrário" está à venda em exclusivo nas lojas Fnac.

Bjs e obrigada
madalena e sílvia
"

Nov 12, 2008

i hope that one day

acordarás para a realidade que nunca mais encontrarás alguém como eu.

notfall



decidi hoje visitar as instalações das urgências do hospital universitário de basel. as dores lancinantes obrigaram-me. com os pápeis do seguro em mão (dado o acidente ter ocorrido a caminho da universidade, é considerado "acidente de trabalho"), lá fui eu para a "notfall".
11h00. primeiro: registo dos meus dados.
11h10. triagem: atendida por uma enfermeira que me mede a pressão arterial (122/80 - nada mau), o nível de oxigénio (99% - surpreendente) e a temperatura (37.5°C). faz-me as perguntas da praxe - medicamentos que tomo, alergias, histórico médico (encurteci a estória porque senão, a esta hora, ainda estaríamos lá). perguntou-me numa escala de 0 (sem dores) a 10 (muitas, muitas dores), onde me situaria. não quis exagerar muito e apontei para a média: 5.
11h25. sou chamada por uma enfermeira para entrar então na sala do médico. 5 minutos de espera. aparece-me um fulano nos seus 20 e poucos anos e apresenta-se: dr. tobias. pergunta-me como se pronuncia o meu nome de família. lê o meu ficheiro e ri-se porque a enfermeira traduziu "hay fever" (alergia aos fenos) para "alergia à erva". exames de visão, tácteis, de reflexos e respiratórios. tudo ok. analisa o meu braço direito - o qual tenho dificuldades em movimentar. como não estou pisada na área do peito e ombro apesar de ser onde me doí mais, resolve ir chamar "o" médico. (fiquei na dúvida: se ele ia chamar "o" médico, então ele era o quê?).
12h15. aparecem-me então o dr. tobias e outro fulano da mesma idade: "o" médico. explica-me que por raio-x não iriam ficar muito mais esclarecidos sobre a minha condição médica. que se realmente tenho algo partido, nessa zona acaba por cicatrizar por si só, sem recurso a cirurgia. e que é sempre bom evitar levar com uma dose de radiação. ok. receitam-me dafalgan, voltaren, pantozol e olfen patches para aliviar as dores.
12h30. já estava de regresso à uni.

folgo ter sido o espécime de estudo de hoje. pode ser que faça parte de um sub-capítulo na tese de projecto final deles: "o caso da hipocondríaca que caiu de bicicleta".

Nov 11, 2008

uma no cravo...



...e outra na ferradura!

sexta recebi as correcções do j. onde ele literalmente enxovalhou a minha tese, salvo raras excepções. terminou o email com um "ps. how is the new phd going? be sure to take things easy and keep your cool. that's the best way of doing well.".

entretanto, recebi outro email muito prestável a perguntar-me se necessitava de apoio para as correcções: "did you get my corrections? do you want to talk about them? let me know how your status is and what i can do to help...".

hoje, novo email a dizer que não vou receber o meu grau de mestrado segundo os bons ou maus resultados que obtive mas sim em função da boa ou má discussão que escreverei: "however, remember that you are not passing because of good results. you will get your msc for a good and thorough analysis of your results - be that good or bad results".

do you know what?
FUCK YOU, mrs j.

in need of



muitos miminhos da minha mamã.

acho que, por mais anos que passem, nunca deixamos de precisar do amor e carinho da nossa querida mãezinha (e daquele beijinho mágico dado quando nos magoávamos).

hoje, e apesar dos meus 30 anos bem madurinhos, gostaria de ter a minha mamã aqui pertinho.

Nov 10, 2008

contas feitas



2 palmas de mão raspadas;
3 nós de dedos raspados;
1 joelho esfolado;
outro pisado;
um nariz esfolado;
uma face arranhada;
3 pisaduras;
um esterno quase quebrado.

e a luz dianteira da minha bicla partida :(

first accident



o primeiro de muitos que hão-de vir. esta manhã, a caminho da univ. tive o meu primeiro acidente de bicla.
na suíça, bicicletas e motorizadas estão autorizadas a circular em sentido contrário em ruas de sentido único. o caminho que eu percorro todos os dias é 90% feito em ruas de sentido único. e circulo 90% no sentido oposto, na ida para a universidade.

hoje, já ia um pouco atrasada: tinha uma reunião de grupo e tinha que apresentar como utilizar um programa informático sobre visualização de proteínas. como boa portuguesa (seja de carro, seja de bicicleta), ia em "excesso de velocidade". vinha um carro em sentido oposto e um senhor decidiu atravessar a rua (fora das passadeiras), olhando somente para o lado em que vinha o carro. claro que não me viu. mas ouviu-me e "sentiu-me". gritei e travei a fundo, mas foi tarde demais. "atropelei" o fulano e fiz um "vol plané", não sem antes ter embatido com força contra a barra da bicla. o fulano não teve nada, apesar do susto, mas o mesmo não posso dizer da minha pessoa. alguns arranhões e pisaduras. e uma forte dor no peito.

comecei bem o dia.
a lei de murphy. foi a única coisa que me passou pela cabeça quando voei esta manhã.

Nov 9, 2008



"great spirits have always encountered violent opposition from mediocre minds."

a. einstein

"they" by jem

for my sis c. and niece m.



who made up all the rules?
we follow them like fools,
believe them to be true,
don't care to think them through

and i'm sorry, so sorry
i'm sorry it's like this
i'm sorry, so sorry
i'm sorry we do this

and it's ironic too
'cause what we tend to do
is act on what they say
and then it is that way

and i'm sorry, so sorry
i'm sorry it's like this
i'm sorry, so sorry
i'm sorry we do this

who are they?
where are they?
how can they possibly
know all this?
who are they?
where are they?
how can they possibly
know all this?

do you see what i see?
why do we live like this?
is it because it's true
that ignorance is bliss?

who are they?
where are they?
how do they
know all this?
and i'm sorry, so sorry
i'm sorry it's like this
do you see what i see?
why do we live like this?
is it because it's true
that ignorance is bliss?

and who are they?
where are they?
how can they
know all this?
and i'm sorry, so sorry
i'm sorry we do this

até quando?



comecei um doutoramento em outubro 2006 na university college dublin com o j.
comecei um projecto sobre os efeitos dos campos electromagnéticos sobre proteínas.
mas o projecto nunca saiu do papel: um maço de folhas a4, carimbadas pela sfi (science foundation ireland) a aprovar o financiamento.
quase dois anos a penar no laboratório, muitas vezes a fazer trabalho de outras pessoas.
quase dois anos a aturar a imbecilidade aguda do j. e os insultos quase diários.
em dois anos, andei perto do abismo. cambaleei, mas mantive-me deste lado.
em dois anos, odiei. odiei a minha vida. odiei as pessoas que me rodeavam.
em dois anos perdi o discernimento. já não conseguia diferenciar o certo do errado.

parti. a um ano de terminar. mandei tudo às favas. pela minha sanidade mental.

ganhei uma batalha quando consegui a bolsa de doutoramento em basileia. mesmo sem a carta de recomendação dele. mesmo quando ele me disse que nunca conseguiria entrar na elitista comunidade científica suíça.

ganhei uma batalha, mas ele ganhou muitas outras... e sexta, ganhou mais uma.

Nov 7, 2008

bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad bad

fucking day.

Nov 5, 2008

"siddhartha" by hermann hesse



[...] car on peut toujours redevenir innocent, si l'on reconnaît sa faute et sa souffrance et qu'on les supporte jusqu'au bout au lieu de mettre les autres en accusation [...]

"war" by bob marley



"until the colour of a man's skin is of no more significance than the colour of his eyes."

yes




desculpem-me o americanismo, mas após 8 anos a ver as figurinhas parvas do g. w. bush (que muito me fizeram rir, mas também chorar), aquece a alma ver finalmente alguém que parece ter os pés assentes na terra e dois dedos de testa.

os americanos subiram alguns pontos na minha consideração.

Nov 4, 2008

Nov 2, 2008

só & sozinha




do lat. solu
adj., solitário; que está sem companhia; ermo; único; isolado; afastado da convivência social;
s. m., aquele que vive só.
loc. adv., a -s: sem companhia; - por -: um por um, isoladamente.

sozinho
de só
adj., absolutamente só; abandonado; único.

sinto-me realmente só. mesmo quando estou rodeada de pessoas. sinto-me só.
e não quero mais.

Oct 28, 2008

yesterday



i opened my mind to new things.

Oct 23, 2008

tempo



há períodos na nossa vida em que precisaríamos de mais tempo. mais tempo para trabalhar. mais tempo para falar e estar com os amigos. mais tempo para dormir.

deveríamos poder "esticar" as horas do dia. e quando viesse o tempo de calmarias, poder voltar aos dias de 24 horas.

plágio



faço minhas as palavras dele

"das mulheres diz-se que não sabem o que querem. dos homens também. a diferença está nas razões. as mulheres é porque querem várias coisas ao mesmo tempo e perdem-se no imensidão das imagens perfeitas e contraditórias que vivem dentro delas próprias, e das quais procuram reflexos na vida cá fora. os homens é um caso muito mais simples. os homens é porque, de facto, com toda a franqueza, não sabem mesmo o que querem."

"em geral os homens são todos maus, em particular as mulheres podem ser todas más. em particular os homens podem ser todos burros, em geral as mulheres são vítimas dessa burrice ciclicamente (e o burro sou eu?). leia-se isto com leveza, não se procure aqui grandes rasgos filosóficos ou antropológicos. os homens são de facto seres bem menos interessantes que as mulheres. a mediania é a característica principal do macho enquanto que a originilidade extrema é a distinção da fêmea."

a morte em sonhos



sonho muitas (demasiadas?) vezes com a morte. com a minha, com a dos meus familiares mas nunca com pessoas fora desse círculo. until last night.
não gosto de sonhar com a morte de pessoas que me são próximas. não me importo de sonhar com a minha.

estou magoada com uma pessoa. por muitos motivos. mas mais motivos tenho para considerá-la "amiga". e mesmo os amigos magoam-nos.
esta noite sonhei com a sua morte. e não há palavras para descrever a dor que senti ao pensar que nunca mais a veria, que nunca mais falaria com ela, que nunca mais teria a oportunidade de lhe dizer: "também cometi erros. também fui estúpida. perdôo-te e espero que me perdoes."

é algo que nunca me perdoarei. nunca ter dito estas palavras ao meu avô antes de ele falecer. sei que os sentimentos estão nos actos e não nas palavras. mas o sentimento de culpa por nunca ter pedido perdão (às vezes por coisas pequenas e insignificantes) persegue-nos até à morte.

a amizade é em muito similar aos laços de sangue. os amigos são a nossa segunda família.

Oct 21, 2008

curiosidades & chocolates suíços


verdade que a suíça é famosa pelos seus chocolates (apesar de eu ter mais queda pelos belgas: guylian);


verdade que a suíça é uma confederação que se rege por três juridisções legais: a da comuna (ex. kleinbasel), a cantonal (basel-stadt) e a federal (suíça). as leis aprovadas em parlamento podem ser vetadas por um referendo federal (o que é para mim a verdadeira definição de "democracia").
verdade que cada cantão tem as suas leis e, por exemplo, o sistema educativo varia consideravelmente de um cantão para outro (i.e. de basel-stadt para zürich). o que leva muita gente a frequentar a universidade perto de casa. não existe numerus clausus excepto para o curso de medicina. o exame "especial" de entrada em medicina é (aqui em basel) um exame de cultura geral. o número de vagas é de 80 a 90.
verdade que a suíça (como país desenvolvido) foi dos últimos a conceder o direito de voto às mulheres (cantonalmente em 1959, federalmente em 1971 e o último cantão, appenzell innerrhoden, em 1990).
verdade que a suíça tem dois enclaves: büsingen que pertence à alemanha, e campione d'italia que pertence, tal como o nome indica, à itália.

verdade que existem muitas religiões oficiais (genebra e neuchâtel são os únicos cantões a não ter uma igreja oficial). verdade que não sei enumerá-las todas. verdade que sei que, em basel, a igreja oficial é a protestante (o que significa que não tenho muitos feriados cantonais).
verdade que os suíços germânicos pronunciam os "ch", "rr". ex: zürich = "dzurirre"
verdade que a capital federal suíça é berna e não genebra ou zurique.



verdade que, em 2005 e em resultado de um referendo federal, as uniões de facto (eingetragene partnerschaft) foram legalizadas: os casais homossexuais têm os mesmos benefícios que os casais heterossexuais, em termos de impostos, segurança social, rendas de habitação e seguros de saúde. contudo, continuam a não poder adoptar crianças, recorrer a tratamentos de fertilidade, nem adoptar o mesmo apelido.

verdade que o uso de drogas leves (ex. cannabis) não é legal mas é aceite. até há bem pouco tempo (2 anos?) existiam coffee shops que foram fechando gradualmente. falam em reautorizar legalmente o uso de drogas leves. e é verdade que vendem no supermercado ice-tea com extracto de cannabis (mas tal como nos sumos de fruta, o extracto de cannabis está numa percentagem irrisória).
verdade que para combater a criminalidade devido ao uso de drogas pesadas (infelizmente somente a heroína está contemplada por esta lei), os cantões aderiram à sua distribuição gratuita e tratamento por metadona. existe um centro aqui ao lado da universidade: todos os dias (e sob fortes disposições policiais - i.e. um securitas) vêm-se toxicodependentes à procura da dose diária. existem "salas de chuto" próprias e todo o material necessário é também fornecido pelo cantão. também é comum verem-se caixotes do lixo, perto de parques, com um contentor especial para seringas.

e estas foram as verdades de hoje. e garanto que não passaram de prazo de validade :)

red light district basel



descobri anteontem (para mal dos meus pecados) que existe uma mini-red light district aqui em basiléia.
digo "para mal dos meus pecados" porque essa mini-red light district fica a dois passos da minha casa.

já sabia que não morava na zona mais posh da cidade e já me tinha apercebido de um movimento anormal à volta desses prédios. (inicialmente) estranhei as luzes vermelhas e as luzes de natal às janelas (mas natal é todo o ano, certo?) e numa brincadeira com colegas meus disse-lhes que eram casas de meninas. mal eu sabia que tinha acertado na "mouche".

anteontem à noite (eram quase 23h00), a caminho de casa, fui abordada por um homem de meia-idade. perguntou-me algo (em suíço alemão) ao que lhe respondi "je ne comprends pas l'allemand". Ele imediatamente mudou para o francês (em bâle, muitas pessoas são bilingues) e perguntou-me, sem quaisquer rodeios onde era a casa de p****. (ele estava na dúvida entre qual dos dois prédios seria o melhor bordel - fazem frente um ao outro, e ambos estão iluminados festivamente). entrei primeiro em pânico para depois quase desatar às gargalhadas. disse-lhe que não sabia mas que muito provavelmente no pub da esquina saberiam indicar-lhe. pelo que virei costas e fui embora a passo rápido (para não dizer quase a correr).

Oct 20, 2008

"lost innocence" by eric stuart



i've been blessed and i've been cursed.
i've done my best and seen the worst.
i've been cruel and i've been kind.
i've followed rules and crossed the line.
i've been loved and i've been hated.
i've been trapped then liberated.
i've been bad and i've been good.
my words misread then understood.

lost innocence, trying to get back to where i used to be.
lost innocence, hoping that there's something waiting there for me.
lost innocence, have i even learned a single useful thing,
or have i lost, in a sense?

i've been strong and I've been weak.
i've learned to turn the other cheek.
i've been shown and I've been blind.
i've said my peace then changed my mind.
i've been lost and I've been found.
i've built things up then burned them down.
i've been wrong and i've been right.
i've saved the day then spent the night.

lost innocence, trying to get back to where i used to be.
lost innocence, hoping that there's something waiting there for me.
lost innocence, have i even learned a single useful thing,
or have i lost, in a sense?

i've been drunk and i've been sober.
i've tied one on and pulled one over.
i've been rude, i've been polite.
been right on time then missed the flight.
i've been sick and i've been well.
at heaven's gate and on the road to hell.
i've been smooth and i've been rough.
i've wanted more then had enough.

lost innocence, trying to get back to where i used to be.
lost innocence, hoping that there's something waiting there for me.
lost innocence, have i even learned a single useful thing,
or have i lost, in a sense?

have i lost innocence?

yes

freud, o deslocamento e o recalcamento




é na traumdeutung, “a interpretação dos sonhos” que freud apresenta a noção de deslocamento como um mecanismo essencial, ao lado da condensação, para a elaboração dos sonhos. mas em seguida, freud aplica-os à formação de sintomas, de actos falhos, de ironias, de esquecimentos e, claro, da obra literária. lacan, mais tarde, desenvolverá a equivalência do deslocamento e da metonímia, à condensação e à metáfora.

este conceito presta-se para esclarecer o leitor sobre a ligação profunda entre a teoria analítica e o trabalho literário. “a teoria do recalcamento é a pedra angular sobre a qual repousa toda a estrutura da psicanálise” (freud). é ele que vai, primeiro pelo processo primário, em seguida pelo secundário (o que actua com a linguagem) estruturando a criança no seu corpo e na sua mente. o corpo e a fala da mãe vão criando no corpo da criança, não só uma estrutura das suas energias, ligações entre elas, mas uma vida mental, uma ligação dessas energias não apenas entre si, mas aos signos,aos símbolos, enquanto significantes da cultura. fala que se por um lado é consciente e materializa em sons, em produções do corpo, o que de incogniscível se passa nesse corpo, por outro lado é inconsciente da ligação a esse incogniscível. de facto os fenómenos linguísticos, os sistemas de significantes, a sua estrutura não surgem à consciência sequer nem sobretudo durante a sua aprendizagem. não se aprende a língua, aprende-se a falar. essa ligação faz-se assim ao nível das energias somáticas incogniscíveis que se ligam ou desligam. a língua aprende-se vive-se e desenvolve-se como uma elaboração colectiva, numa história inconsciente de processos de ligação dos corpos e entre os corpos que ela estabelece. mesmo o sábio em linguística não confunde os seus conhecimentos teóricos com a sua experiência de sujeito que fala e esta modifica-se muito pouco em função daquela.

é o recalcamento que permite este trabalho. mais do que negar a entrada no inconsciente, o recalcamento primário funciona quando o consciente ainda não está estruturado. mas não se exerce sobre a pulsão, antes sobre o seu representante, ele próprio inconsciente. e freud lembra que “somos levados a esquecer demasiado depressa o facto de que o recalcamento não impede que o representante da pulsão continue a existir no inconsciente, se organize ainda mais, dê origem a derivados, estabeleça ligações”.

o recalcamento secundário “só se dá quando existe já uma cisão marcante entre actividade mental consciente e inconsciente.” O recalcamento afecta os derivados mentais do representante (da pulsão) reprimido ou associações de pensamento e é feito por esse representante inconsciente. assim a cultura é um derivado, uma elaboração distante desse recalcado primitivo. Mas é mais do que isso. corresponde à criação de uma estrutura que permite:
1. que o recalcado seja estruturado segundo um modelo social, colectivo e que assim os derivados possam ter a ver uns com os outros, ligar-se.
2. que o recalcamento seja eficaz, duradouro. ao dirigir-se não à pulsão, mas aos seus representantes, o recalcamento exige um exercício incessante. as regras da cultura – de parentesco, por exemplo – criam uma estrutura no inconsciente ao nível do recalcamento primário que facilita a tarefa posterior de recalcamento. essa estrutura, por ser “como a de uma linguagem” (lacan), encontra na fala o seu melhor e mais seguro representante.

a fala produz nos humanos um modo de consciência qualitativamente diferente. carrega consigo não só o que diz e reconhece no exterior e no interior – o consciente – mas também todas as energias que ela liga e que permanecem inconscientes. assim “a fala diz muito mais do que pensa ou quer dizer” (lacan). ela traz o sujeito. “o que fala no homem vai muito além da sua fala, penetra nos seus sonhos, no seu ser e mesmo no seu organismo”(lacan).

podemos agora perceber o que é o deslocamento: operação característica dos processos primários através a qual uma quantidade de afectos se desliga da representação inconsciente à qual estava ligada e vai ligar-se a uma outra que só tem com a precedente laços de associação pouco intensos ou mesmo contingentes. esta última representação recebe assim uma intensidade de interesse psíquico que excede o que ela deveria receber, enquanto a primeira, desafectada, é assim como que recalcada. este deslocamento encontra-se em todas as formações do inconsciente. na interpretação dos sonhos, encontramos o seguinte exemplo: “os pensamentos do meu sonho, explica freud, eram injuriosos para r.; para que eu não o note, são substituídos pelo seu oposto, a ternura”. dá também exemplos do quotidiano: o apego de uma solteirona por animais, a paixão de um solteirão pelas suas colecções, o ardor do soldado na defesa de um bocado de pano colorido, a bandeira, a fúria de othello por um lenço perdido.

assim, de cada vez que um elemento psíquico está ligado a outro por uma associação chocante ou superficial é porque há entre os dois um laço natural e profundo submetido à censura. há uma deslocamento, uma passagem duma associação normal e séria a uma associação superficial e de aparência absurda.



[in
sigmund freud, le rêve et son interprétation (1900);
r.de j., o recalcamento (1915);
j. lacan, le seuil (1966).
]

recalcamentos et al.



f. said... "mas que se passa!? isto desde há uma semana e tal que isto tem vindo a ser um blogue de posts que reflectem pequenas fugas nas barragens dos recalcamentos! qualquer dia rebentas!"

"pulsões são impulsos energéticos. é um processo dinâmico que nasce no inconsciente que leva o organismo em direcção a um fim, uma tendência para agir, para resolver uma dada tensão orgânica. esta orienta a pessoa para determinados afectos, mentalizações e comportamentos. ora, o comportamento é orientado pela tendência do organismo em reduzir a tensão. as pulsões podem ser recalcadas ou sublimadas conforme o super ego de cada um. o super ego é como uma censura que separa o inconsciente do consciente e representa a sociedade. como na sociedade há regras/leis, é impossível deixar as pulsões passarem o super ego e essas pulsões são então recalcadas. quando existe o recalcamento é provável ocorrer frustações no indivíduo. essas frustações terão um impacto negativo no indivíduo que terá problemas consigo próprio. [...] mas as pulsões não são só recalcadas, são também sublimadas, ou seja, o indivíduo satisfaz o desejo do inconsciente através de métodos aceites pela sociedade, como o amor. a sublimação é a satisfação da pulsão sem repressão.."
[in wikipedia]

é a minha forma de ver o mundo. recalcada me confesso. procuro a sublimação através da "escrita". até conseguir ver um dia as coisas/pessoas mudarem.

limits



o número de idiotas que cruzam o nosso caminho deveria ser limitado.

Oct 19, 2008

nem de propósito



esta notícia no jn online.

may suit some people i know.

"heartbeats" by josé gonzález



one night to be confused
one night to speed up truth
we had a promise made
four hands and then away

both under influence
we had a divine sense
to know what to say
mind is a razor blade

to call for hands of above
to lean on
wouldn't be good enough
for me, no

one night of magic rush
the start a simple touch
one night to push and scream
and then relief

ten days of perfect tunes
the colors red and blue
we had a promise made
we were in love

to call for hands of above
to lean on
wouldn't be good enough
for me, no

to call for hands of above
to lean on
wouldn't be good enough

and you, you knew the hand of the devil
and you, kept us awake with wolves teeth
sharing different heartbeats
in one night

to call for hands of above
to lean on
wouldn't be good enough
for me, no

to call for hands of above
to lean on
wouldn't be good enough

best before



as verdades são como os iogurtes. têm prazo de validade.

Oct 17, 2008

what not to do...

in a lab.



falemos hipoteticamente de uma pessoa assexuada - sem género determinado - isto para não ser acusada de denegrir (novamente) o sexo masculino.

esta manhã, a dita pessoa "assexuada" teve a excelente ideia de evaporar um solvente, recorrendo para o efeito a um rotavap. procedimento normal para pequenas quantidades e determinados solventes. problem is que a pessoa "assexuada" teve a ideia de génio de o fazer para uma quantidade anormal de solvente. e o solvente em questão ser amoníaco.

o nosso piso ficou repentinamente envolvido em vapores de amoníaco. olhos vermelhos, gargantas irritadas, fortes dores de cabeça. abrimos rapidamente as janelas. os sintomas foram atenuando-se. e o ambiente ficou "gélido". pelo ar fresco que vinha do exterior e pela incredibilidade frente à imbecilidade dessa pessoa "assexuada".

e assim começa o meu fim-de-semana.

[segundo wikipedia: the u.s. occupational safety and health administration (OSHA) has set a 15-minute exposure limit for gaseous ammonia of 35 ppm by volume in the environmental air and an 8-hour exposure limit of 25 ppm by volume. exposure to very high concentrations of gaseous ammonia can result in lung damage and death.]

Oct 16, 2008

male chauvinist pig(s)



ontem à tarde, na praktikum (a caloiros em ciências farmacêuticas), um dos assistentes decidiu implicar com uma das alunas porque esta não estava a usar os óculos de protecção (ela não estava a manipular nenhum reagente, mas sim a fazer cálculos). ele dirigiu-se a ela, de uma forma grosseira e desrespeituosa, envergonhando-a na frente do resto da turma. e a miúda desatou a chorar.

a atitute/resposta dele?

"that's for this and other reasons that women should stay at home and stick to what they know: take care of their house and husband."

e o bastardo/mentecapto ainda teve a lata de expulsar a miúda da sala.
e não foi surpresa descobrir que os outros assistentes (todos do sexo masculino) nada fizeram para impedir isto!

a falsidade dos homens



recebi um email despropositado por causa de recorrer aos serviços de documentação da ucd e uminho.

no dia seguinte, recebo este email:
"i am trying to locate the article cited below in current topics in medicinal chemistry. somehow, i cannot find it in nebis. maybe you can locate the article?
many thanks.
t.
"

os homens não sabem o que querem. ou tudo é fachada e/ou falsidade?

Oct 14, 2008