Sep 29, 2008

have you seen my



?

deveria ter recebido a minha bolsa a 25 de setembro. nada. a entrar em stress, a receber facturas para pagar e a depender do meu cartão de crédito: stress. fui esta manhã, já em desespero, falar com a secretária do departamento, b. (secretária e amiga de copos). não sem antes ter perguntado ao meu entourage se já tinham recebido - isto para não fazer figura de parva (o que não seria estranho vindo de mim).

telefonema da b. para a responsável do personnel da univ. troca de palavras incompreensíveis (o meu suíço-alemão reduz-se a "merci vilmal", grüezi, en guete, äbä e pouco mais).

a tradução da conversa veio a seguir.
- quem é o "bausch"?
- quem é o ... quem?
- sim, no teu contrato apareces com o nome "e. n.-bausch" sendo o "bausch" o nome do teu marido... e no teu banco, só aparece "e. n.".
- (?)

momento de silêncio. tento relembrar-me se numa destas últimas noites etílicas terei cometido o faux-pas de me ter casado...

- nop. não tenho memória de ter ido a las vegas. nem de ter metido os pés numa love chapel. definitivamente não.
- o pagamento da tua bolsa foi devolvido dado os nomes não ser coincidentes.
- ok, vou amanhã regularizar a situação. só espero que não me peçam o documento a comprovar o meu celibato.

mas fica aqui o apelo: "se alguém conhecer o bausch, pode dizer-lhe para voltar para casa?"

merci vilmal

os trams e eu



detesto os trams de basel. nunca se espera mais de dois minutos pelo próximo (mesmo em hora de ponta) mas detesto-os. pelo que me aconteceu ontem. pelo que me aconteceu hoje.

fui ao centro da cidade à hora do almoço. com pouca vontade de regressar à pé para a univ. saltei para o tram n.°11 (sim, esse outra vez!), um pouco "à herói" (sem bilhete e pela última porta). o meu azar? não me apercebi que o tram tinha terminado o seu percurso nessa mesma paragem e estava de regresso à estação. fechada. trancada no tram. carreguei em todos os botões de abertura de portas (entrei em pânico) e finalmente após alguns minutos de luta (e alguns pontapés na porta), consegui sair.

agora? a pé ou de bicla. mas num tram? i don't think so...

la fête des vins



começo pelo fim.
ontem à noite regressei da "fête des vins" de lugano num comboio directo para basel (sem confusões de mudança de comboios e plataformas).
chegada à sbb bahnof: 00h06. último tram para casa: 00h15 (vim a descobrir da pior maneira a definição de "último").
apanho o tram n.°11 que vai em direcção à frança (st-louis grenze) e passa perto da univ.

atenta às paragens, apercebo-me (e estranho) da direcção tomada pelo tram. sabendo que há obras na linha (e acreditando piamente na minha boa estrela), achei que seria um mero "détour". pois.
chegada à última estação: oberwil (paragem das linhas 10 e 17, mas certamente not do n.°11). no meio do nada. 00h26.
horário de trams desactualizado (na era pré-histórica, havia trams até 00h48).
telefonema a um amigo a pedir conforto. "só a ti é que acontecem coisas destas. deverias estar mais atenta. o que vais fazer agora?". boa pergunta. se soubesse a resposta...

decido sair da estação e procurar ajuda (a.k.a. polícia, táxi?). desorientada, carregadíssima, estradas fechadas, um frio de rachar. decido dar ouvidos ao meu "sentido de orientação". e fui desaguar a uma estrada (fortunadamente) com algum trânsito.
big hic: deparando-se com uma desconhecida (à beira de um ataque de nervos) a gesticular no meio da estrada, quem tem coragem de parar o carro? na suíça? noone. nem mesmo táxis.
a terceira tentativa (de parar um táxi, porque carros somente nos meus wildest dreams) foi frutífera. as duas clientes do taxista tiveram pena de mim e aceitaram dar-me "boleia" (kind of). fomos deixá-las ao destino e depois partimos em direcção à bâle ("em direcção" porque já estava 15kms fora da cidade...).
conversa com o taxista (o costume, donde sou, o que faço na suíça, etc.) numa mistura entre o francês, inglês, português, italiano e espanhol. 35CHF mais tarde cheguei a casa. 1h20.

nota. ainda tive direito a um convite por parte do taxista (albanês do kosovo) para tomar um café e ver a cidade...

Sep 26, 2008

la p... respectueuse


suivi de morts sans sépulture de jean-paul sartre.
1CHF dans une brocante.

mais uma razão para gostar de basileia.

Sep 25, 2008

no you can't

yes we can

crazy chemists



sempre achei que os "químicos" eram uns malucos. após 4 semanas a conviver com eles, é uma certeza absoluta.

da sintetização de drogas (não "medicamentosas") à produção de substâncias explosivas, este pessoal não perdeu tempo nas aulas (nem fora delas).

pessoas que roubaram químicos no lab e os sintetizaram para arredondar o "fim-do-mês".
pessoas que testaram uma nova substância explosiva nas sanitas da casa-de-banho e, em vez de rebentar com a canalização da água, rebentaram com os esgotos (o cenário não deve ter sido agradável, nem o cheiro...).
e também pessoas que fazem coisas bem mais simpáticas tais como produzir uma boa cerveja caseira (provei-a na uninacht e francamente não fica a dever nada às marcas comercializadas).

a unibasel está populada de gente a transbordar de conhecimentos (químicos, of course...)

Sep 24, 2008

as semanas


têm passado demasiado depressa.
tenho-me divertido por todos os meses em que não o fiz em dublin. tenho conhecido imensa gente, de todos os cantos do mundo, com todo o tipo de bagagem de vida e profissional.

as semanas têm passado demasiado depressa.
possivelmente é o entusiasmo inicial - de uma nova cidade, de um novo projecto, de uma nova vida. mas é um entusiasmo que tem perdurado e espero que perdure mais um pouco.
gosto de basel. gosto da suíça.

e até agora, no reasons to complaint :)

Sep 21, 2008

jovem democrata viola "mail" de sarah palin



"o filho de um político democrata norte-americano reclama a autoria do mais recente escândalo na campanha eleitoral: a invasão e exposição pública de conteúdos do "e-mail" privado de sarah palin, candidata republicana à vice-presidência.

david kernell, 20 anos, filho do político do tenessee mike kernell, é o principal suspeito de ter colocado mensagens, fotografias e listas de contactos retirados do "e-mail" de palin à disposição de internautas, através do sítio de mexericos políticos 'wikileaks'. a violação do correio electrónico da governadora do alasca tinha sido inicialmente atribuída a um grupo de "hackers" - conhecido na rede por anonymous - que negou o envolvimento.

desencadeada uma verdadeira caça ao "hacker" no mundo virtual, vários blogues políticos e agências de notícias, atribuem a responsabilidade a kernell, mas os serviços secretos norte-americanos e o fbi - que investigam o caso desde quarta-feira - não confirmam.

o "hacker" deixou um registo "on-line" para contar como entrou no "e-mail" de palin, explicando que o fez "por brincadeira". primeiro adivinhou onde esta conhecera o marido, depois descobriu a data de nascimento e o código postal da governadora e - ao acertar em todas as questões que no sítio do yahoo permitem aos utilizadores alterar a senha de entrada nas contas de correio electrónico - bastou-lhe modificar a "password" para "popcorn" e entrar."


[in expresso online 21-09-2008]

Sep 19, 2008

todos diferentes, todos iguais


se em dublin, o meu grupo não primava pela originalidade de nacionalidades, não posso dizer o mesmo sobre o meu grupo aqui em basel.

em dublin:
- uma islandesa;
- um sérvio;
- três dinamarqueses;
- seis irlandeses.

em bâle:
- três suíços (t. e f. de neuchâtel e m. de basel): o t. fala inglês com o m. porque em neuche fala-se francês e em bâle, fala-se swiss german (dialecto falado mas não escrito - muito diferente do alemão) e f. fala as 4 línguas (français, english, deutsch, e swiss german);
- uma canadiana de origem bósnia (a s.);
- um mexicano (o j.) que cresceu em montpellier (france);
- um senegalês (o c.) que cresceu em paris (france);
- uma siciliana (a a.);
- um catalão (recusa o termo "espanhol") de pai catalão e mãe britânica (o m.);
- uma portuguesa nascida em frança (moi-même);
- dois chineses(a l. e o j.) e,
o meu supervisor que nasceu na suíça de pais judeus americanos: fala francês com sotaque alemão, inglês com sotaque francês e swiss-german com um misto de sotaques franco-english.

todos iguais, todos diferentes (ou vice-versa).

Sep 18, 2008

uninacht



amanhã, dia de festa aqui na univ.
início às 16h00:
- abertura da unibas à comunidade baloise.
- apresentação dos grupos de trabalho e projectos.
- demonstração de explosões químicas homemade.

e depois, copos, copos, copos. e música.

com término previsto para as 4h30.

e eu, inscrevi-me como voluntária para ajudar na organização e vender salsichas e bier :)

"bienvenue chez les ch'tis" by dany boon



quero ver :)

one bet, one pizza

désolée, l. mais tu vas devoir payer la pizza à p.
elle avait raison: french affairs :)

Sep 17, 2008

à propósito de



"Filipe said...
Venho por este meio dizer que o novo look é muito bonito sim senhor mas para um míope como eu é, como dizer?...hummm, fodido ler letra tão pequena.

Respeitosamente claro."


isto depois de eu ter mudado o template do meu blog, o meu computador ter decidido entrar em greve, e não ter tido oportunidade de fazer mais alterações.


agora pergunto:
já está melhor? ao gosto de s. exa? alguma outra reclamação/sugestão?

nota. são sempre bem-vindas, claro. e tentarei sempre solucioná-las. satisfação do cliente, sempre - uma das regras de ouro do sistema de gestão da qualidade (ah, esses anos de consultoria...).

basel - lugano



sexta, experimentei o novo sistema de compra de bilhetes de última hora online no site do sbb - click&rail e entrega do bilhete via mms.
bilhete comprado para o comboio das 18h07, directo, de basel para lugano, sábado 13. chegada prevista às 22h32. prático e barato, uma ida por 18CHF em vez de 40CHF :)

sábado, dia de chuva torrencial em basiléia, dirigi-me à sbb bahnof às 17h00 no bus 30 (que parte da univ directo para a estação). cheguei ao destino em pouco menos de 10 mins, mas completamente encharcada, visto a paragem de bus não ter abrigo e ainda estive 6mins debaixo de chuva :(
fui comprar algo para almoçar/jantar e sentei-me calmamente num banco à espera que a informação sobre o meu comboio aparecesse no quadro das partidas. pouco passava das 17h30 quando vi que devia dirigir-me à plataforma 6. coisa que fiz de imediato, visto estar com uma mala enormíssima e querer um lugar confortável. o comboio já estava cheio de pessoas (coisa que estranhei, dado faltar ainda meia-hora para a partida), mas lá consegui arranjar um lugar para mim e para a minha mala.

qual não é o meu espanto quando o comboio entra em andamento pouco depois, às 17h45. aflita, pergunto à rapariga sentada à minha frente para onde ia o comboio. resmungou algo entre os dentes - eram nomes de cidades alemãs. mau. muito mau. era suposto ir em direcção da suíça francófona... passa o controlador e pergunto-lhe como devo fazer para apanhar o comboio para lugano visto ter-me enganado (não me tinha apercebido que antes do "meu" comboio ainda havia um outro regional a partir da plataforma 6 - no qual eu entrei). muito gentilmente, o controlador diz-me que tenho de sair na última paragem deste comboio (em zoningen), mudar-me e apanhar outro comboio na plataforma 2, sair em arth-goldau, mudar-me e apanhar outro comboio (para chiasso) na plataforma 5. ok. relativamente simples.

em zoningen, plataforma 2. novo comboio. sento-me confortavelmente e começo a leitura da biografia de josephine baker. muito bom livro, diga-se de passagem. tão bom que não me apercebi que o comboio parou em arth-goldau. e fui parar a... luzern!
sem muito tempo para reflectir sobre onde me encontrava no mapa suíço, apanhei um comboio (plataforma 7) para arth-goldau. desta, estive atenta às paragens. saída em arth-goldau e procura da plataforma certa para chiasso. não encontrei para chiasso, mas encontrei para milano. se ia em direcção da itália, com certeza, teria paragem em lugano.

20 mins de espera, ao frio. um black americano (do ohio) veio cravar-me 5CHF. ainda tive direito ao "thank you (...) lord, bless you (...)" and so on (perdi parte dos blessings dele porque para mim um "obrigada" bastava). ainda falamos do barack obama até que (finalmente) o meu comboio chegou. cisalpino. o "tgv" aqui da zona. sem muita certeza que o meu bilhete a 18CHF fosse válido, entrei. com a minha sorte, ainda ia ser multada ou pagar a diferença de bilhetes. não. milagrosamente, não (deve ter sido de todas as bençãos do fulano dos 5CHF). viagem confortável, calma, sem stresses (salvo quando um senhor sentado à minha frente induziu-me em erro e fez-me sair em bellinzona - felizmente, perguntei a outro senhor e este informou-me que lugano era a paragem seguinte e voltei a entrar no comboio) e pude terminar o meu livro em paz.

e acreditem (ou não), cheguei a lugano com 45 mins de avanço - 21h45.


(nota. CHF means "swiss francs", CH - communité helvétique = suisse)

Sep 13, 2008

graduate students vs supervisors



todos (ou quase todos - há sempre excepções à regra) que já fizeram ou ainda estão a fazer uma pós-graduação têm uma estória a contar sobre um qualquer "nasty" email enviado por um supervisor mal-humorado. eu sei que guardei uma bela colecção enviada pelo j.

ontem o meu novo supervisor perdeu as estribeiras. ausentou-se cerca de 3 dias para uma conferência em dublin (bela coincidência, não?) e o seu braço-direito foi a outra conferência em liège. traduzindo: o grupo ficou "sem orientação". o que não é grave, visto sermos todos "maiores de idade e vacinados". pois.

sexta, às 9h00, tivemos a nossa reunião de grupo. até aqui nada de especial. até que pelas 11h30, recebemos isto:

group

first thanks to all of you for your help with the apero last friday!
m. m. was in my office this morning complaining about your behaviour AGAIN!
palettes should have been cleared early this week.
apparently, NOONE was here on time for the SKAN introduction on sept. 9th at 9h00. as you may know, i am rather sensitive when it comes to respect and self-responsibility. being late is a coward form of disrespect.

do i have to establish a climate of terror and threatening?
or are you ALL grown up enough to act responsibly and adopt an adult behaviour?

i have adapted the w. group good laboratory practices contract (attached), which i ask you all to read carefully. we will discuss it (and sign it) during the subgroup meetings next week.

t.


:)

claro que ontem este email e o conteúdo do contrato que temos de assinar foi motivo de longas conversas e discussões ao almoço e pausas-café.

mas ao discutir com uma colega de outro grupo e após ter-lhe mostrado o email, ela convenceu-me que não tinha sido tão mau quanto isso. regressou com uma cópia de uma carta enviada por um prof. do caltech (california institute of technology) e dirigida a um aluno post-doc:



esse mesmo prof. trabalha agora no ethz (eidgenössische technische hochschule zürich).

Sep 12, 2008

moving, smelling, driving, unloading


este fim-de-semana regresso a morcote. buscar o meu carro. que já cheira a chulé. quase 5 semanas de suspensão colada, debaixo de um sol tórrido a rondar os 35ºC, e com sapatos espalhados pela mala a tapar os tão preciosos espaços entre malas e caixas. vale referir que são quase 50 pares. sim, de sapatos.

buscar o meu carro. terça de madrugada, regresso a basiléia. 275kms e quase 3hrs de viagem [segundo o site da viamichelin]. vou de noite/madrugada para fugir à confusão dos trams de bâle.

depois é descarregar. vou ficar numa residência universitária. de momento. digo de momento porque fui ver o prédio. vi só o exterior. o meu quarto só será desocupado segunda dia 15. e o exterior deixou-me um tanto ou quanto abalada. ainda não vi o interior.

a ver vamos. em quase 2 anos na irlanda consegui mudar-me 4 vezes.

Sep 10, 2008

l'auberge espagnole



"j'sais pas pourquoi ma vie a toujours été un tel bordel. elle a toujours été compliquée, mal foutue, pas rangée, en vrac. les autres, j'ai l'impression, ont une vie plus simple, plus coherente, plus logique, quoi."

"je me suis retrouvé dans les rues de paris où les parisiens ne vont jamais. j'étais un étranger parmis les étrangers."

"pourquoi j'étais là, je ne savais pas. je n'ai, en général, jamais su pourquoi j'étais là où j'étais."

"je suis comme l'europe: un vrai bordel!"

Sep 9, 2008

a menina dos meus olhos





difícil não sentir saudades da minha pipoca...

Sep 7, 2008

"slacker uprising" by michael moore


novo documentário do michael moore (de quem sou fã incondicional) a ser lançado dia 23 de setembro 2008 e com download gratuito :)

http://slackeruprising.com/

Sep 6, 2008

Sep 4, 2008

bolinhos de bacalhau, rissóis de camarão e óleo fula



as minhas primeiras compras de produtos típicos portugueses cá em basileia, na "casa roque - portugiesische spezialitäten", propriedade do sr. domingos outão (emigrante de montalegre).

não que seja fã de bolinhos de bacalhau e de rissóis de camarão (excepto os da minha querida mãezinha e da minha mana c., respectivamente) - aproveito para relembrar-lhes que o natal está quase à porta ;) - mas porque amanhã temos uma festa na univ (afinal não é só na irlanda que o pessoal gosta de se emborrachar) e nós, membros do grupo, fomos incubidos de trazer uma especialidade do nosso país.
como estou a morar provisioriamente num b&b e, consequentemente, não tenho muito espaço para cozinhar, tornou-se imperativo encontrar algo de fácil preparação.
- o meu primeiro plano era cozinhar rojões - até que alguém relembrou-me que os muçulmanos não comem carne de porco.
- o meu segundo plano, era preparar uma salada russa: fácil (misturar a macedónia ultracongelada e a maionese) e rápido. pairou a dúvida se realmente era considerada uma especialidade portuguesa...
- ontem, caiu-me do céu este presente: descobri, por mero acaso, esta loja de especialidades portuguesas (a 2 passos da univ.).

problema resolvido e vida facilitada :)

agora é só fritá-los :D

Sep 3, 2008

memory

antes de partir definitivamente da irlanda, quis guardar uma recordação de um país que me marcou positivamente, apesar de alguns/muitos (?) percalços. conheci gente de diferentes nacionalidades, criei novas amizades, ri, chorei, diverti-me e pasmacei. aprendi muito. aprendi da maneira mais difícil, sofri imenso (por estar longe da minha família, mas sobretudo da minha pipoca; por ter perdido o meu avô um ano após a minha vinda para a irlanda...), mas aprendi. aprendi que a distância fortalece os laços de sangue e de amizade.

já andava a matutar nisto desde o dia em que soube que era tia e madrinha da matilde. desde o dia em que vi o primeiro sorriso dela (num vídeo que o meu cunhado me enviou) e após tê-la segurado, pela primeira vez, nos meus braços. um sorriso, um abraço, um amor infinito.
ficou gravado no meu coração. e agora também ficou gravado na minha pele. no pulso esquerdo. do lado do coração. em letras célticas porque a matilde nasceu quando eu estava por terras celtas.


Sep 1, 2008

les amants du flore


"qu'est-ce que tu es grand, nelson!
j'ai l'air d'un trou du cul à côté de toi
"
jean-paul sartre